segunda-feira, janeiro 04, 2010



"Eu vi uma manhã desaberta na beira de um rio igual que uma garça estivesse desaberta na beira do rio."

Cinco palavras bonitas sem as quais escrever não teria tanta graça:


"chão, água, caracol, árvore e garça."

Cinco razões pelas quais vale a pena ser poeta:


"Penso que não tive escolha
Fui escolhido e gostei da escolha
Faço o que sonho
Faço o que gosto
Sou um pouco irresponsável
com os passarinhos, isto seja:
Sou livre
Amo a palavra"


Manoel de Barros


Trechos da entrevista a Luciana Pessanha, especial para "O Globo".

Imagem: Markus Lüske